Serra Azul Notícias

Sabado, 13 de Abril de 2024
PREFEITURA DE URUAÇU
PREFEITURA DE URUAÇU

Notícias Mundo

Doador de sêmen viaja 14,5 mil quilômetros para se encontrar com 96 crianças que contribuiu para gerar

Dylan Stone-Miller forneceu material para a geração de dezenas de crianças.

Doador de sêmen viaja 14,5 mil quilômetros para se encontrar com 96 crianças que contribuiu para gerar
Foto: Reprodução/Internet
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Durante o período em que frequentava a Universidade Estadual da Geórgia, nos Estados Unidos, Dylan Stone-Miller precisou de dinheiro para garantir a contratação de um advogado após ser detido por consumo ilegal de bebidas alcoólicas, ainda não atingindo a idade legal para tal. Para solucionar essa questão, o cidadão norte-americano optou por se engajar na doação de sêmen, ao preço de 100 dólares por amostra.

Depois disso, ele não parou mais. Conforme suas estimativas, ele contribuiu geneticamente para a geração de 96 crianças, embora esse número possa ser potencialmente maior.

Atualmente com 32 anos, Dylan embarcou em uma jornada percorrendo cerca de 14,5 mil quilômetros, com a intenção de se conectar com algumas das crianças que ajudou a gerar. Com o propósito de compreender o seu papel na vida dos meninos e meninas que ele havia contribuído para trazer ao mundo.

Leia Também:

A história iniciou há três anos, quando ele viu pela primeira vez uma foto de um de seus filhos biológicos, Harper, que tinha os mesmos olhos azuis e cachos loiros da irmã de Dylan. Emocionado, o doador despertou sentimentos inesperados de paternidade.

"Eu a vejo como minha primeira filha", afirmou Dylan. Ele conheceu Harper quando ela tinha 3 anos e decidiu que desejava desenvolver relacionamentos com o maior número possível de seus filhos biológicos. Ele já se encontrou com Harper duas vezes.

Dylan abandonou sua carreira como engenheiro de software e usou suas economias para financiar sua jornada. Até o momento, ele já conheceu 25 de seus filhos biológicos. Mas, devido à falta de precisão no rastreamento da descendência de um doador, ele lamenta: "Nunca saberei com certeza quantos filhos tenho".

Sua longa trajetória em busca de seus filhos biológicos deve chegar ao fim em setembro. No momento, Dylan mantém registros dos nomes, idades e datas de nascimento das crianças, além disso, anotações sobre quando as viu ou quando manteve contato pela última vez.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!